5 filmes pra aprender sobre respeito e tolerância – versão 90′

Os anos 90 pra mim é como o baú dos tesouros quando o assunto é cinema. Nas tardes de sábado meio que se torna um ritual… Tenho que ver algum filme da década.  Nesse último final de semana a pedida foi o filme Flawless (1999) e então resolvi que iria fazer uma lista clássica de filmes queridos que com certeza vão te ensinar bastante sobre tolerância e respeito quando o assunto é homossexualidade, identidade de gênero e relação com a sociedade . Claro, existe uma INFINIDADE absurda de filmes maravilhosos dos anos 90 que não estão nessa lista como Philadelphia (1993) e Boys on the Side (1995) por exemplo. Mas ai vão os 5 que eu te indico. Escolhe uma semana aleatória no calendário e assista.

todosobre2Tudo sobre minha mãe (Todo sobre mi madre – Espanha/França, 1999, Pedro Almodóvar). Relações familiares e sociedade; sexualidade, soropositividade/AIDS.

Pedro Almodóvar é um mestre e Tudo sobre minha mãe é um filme que faz você pensar sobre a vida. A ambientação e o roteiro são as coisas que mais chamam atenção, já que Almodóvar adora jogar pequenas referências no decorrer da história pra nos fazer entender sobre o que vai se passar no roteiro. A relação mãe e filho apesar de curta é mostrada no filme como gancho pra todo o melodrama que se vai vivenciar e pouco a pouco a gente vai entrando numa série de diálogos que envolvem tabus com uma pitada de sentimentalismo. Alguns personagens são o show de ” Tudo sobre minha mãe”, Manuela (Cecilia Roth) é a mãe que perde o filho, Huma (Marina Paredes) a atriz querida de ambos, estrela de Um bonde chamado desejo, de Tennessee Williams e perfeita representação da solidão e carência de uma mulher e Agrado (Antonia San Juan), um transexual prostituta sentimental e cheia de humor. Dá pra citar Penelepe Cruz (Rosa) nessa lista mas é muito coadjuvante em termos de atuação e não é minha preferida. É um filme lindo com uma mensagem ainda mais linda.


image02Ninguém é perfeito (Flawless – EUA, 1999, Joel Schumacher). Homofobia, homossexualidade, identidade de gênero, violência. – Netflix – 

Um ex-policial aposentado, preconceituoso, intolerante e homofóbico (Robert de Niro) que por uma questão de destino é obrigado a se relacionar com o vizinho, transexual e Drag Queen, ou melhor um artista/performista feminino (assista o filme e entenderá), e todo seu mundo enquanto aprende a deixar todos os seus preconceitos de lado. Três linhas que parecem descrever o ó do clichê pra filmes do tipo, mas não com Flawless. Eu adorei esse filme, a atuação de Philip Seymour Hoffman como Rudy é linda e consegue tocar os maiores corações de pedra. Eu não consegui entender porque esse filme tem apenas 43% de aprovação do Rotten Tomatoes/ 6,4 no IMDB, o que me leva a crer que os críticos são insensíveis, una! Assista e tire suas próprias conclusões.


BirdcageGaiola das Loucas (The Birdcage – EUA,1996, Mike Nichols). Homossexualidade e Sociedade.

Esse sim é um filme pra falar da relação homossexualidade versus sociedade.  The Birdcage é uma versão americana do clássico francês La Cage aux Folles de 1978 e conta a historia de Albert interpretado por Nathan Lane, companheiro de Armand (Robin Williams) que recebe a noticia de que seu filho está noivo. A grande problemática ai está somente num simples detalhe: Os pais da noiva, conservadores e burgueses. Todo o desenrolar do filme se passa em torno de um plano que claro, acaba não dando muito certo, mas que consegue tirar um kg de risadas bem facinho. Gente, esse filme é maravilhoso num nível Robin Williams, perfeito pra uma noite de sexta feira, com pipoca e refri do lado.


42373_Priscila, a rainha do deserto (The Adventures of Priscilla, Queen of the Desert – Austrália, 1994, Stephan Elliott). Homens e sexualidades; identidades e relações familiares.

PERFEITO. MARAVILHO. APLAUSOS. Se você nunca assistiu saia agora daqui, AGORA, e providencie pra hoje. Esse drama com comédia é um filme que todos deveriam ver de tão maravilhoso, marco dos anos 90 na luta contra o preconceito, ele tem uma mensagem que vai muito além das relações familiares e sexualidade, porque fala sobre ideais e amor. Destaque para os figurinos e trilha sonora, ok? Impecáveis. Esse é um daqueles filmes que nem em um milhão de anos  ficará obsoleto e seus bisnetos vão amar. Atuações de Hugo Weaving, Guy Pearce e Terence Stamp como Mitzi, Felicia e Bernadette (DIVA). E ai vai um bônus… sabia que o diretor do longa, Stephan Elliott  se inspirou em Drags brasileiras que viu no carnaval de 89 do Rio para criar o filme?


20150727-1216x657x2Garotos não choram (Boys don’t cry – EUA, 1999, Kimberly Peirce). Sexualidade, identidade de gênero através da experiência de um/a transgênero, violência.

Dessa lista é de longe o filme mais pesado. Também pudera, é baseado em fatos reais (comece chorando antes do filme começar) e conta a história de Brandon Teena nascida como Teena Brandon e brilhantemente interpretado por Hilary Swank (OSCAR) que resolve viver uma vida como homem numa comunidade rural e claro, em pouco tempo acaba vivendo as consequências das suas escolhas. A história real consegue ser ainda mais brutal do que a retratada no filme e a única coisa que dá pra falar mesmo é que tem que ter estomago pra ver. A diretora Kimberly Peirce conseguiu mesmo me envolver no universo do personagem. Indico sempre que posso.

Espero que tenham gostado da lista. Até a próxima!

  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • Pinterest

Leia também...

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *