Freaks and Geeks // Lembrando dos tempos de adolescente

Você tem lembranças boas ou ruins dos seus tempos de adolescente? Era rebelde sem causa? Confesso que fui uma garota meio torta e por muitas vezes me passei por quem não era ou fiz o que não quis, tudo para tentar chamar atenção ou ser aceita da forma que gostaria em algum grupo, e olha que tentei vários…

Acho que a grande maioria dos adolescentes deve passar por situações assim, afinal de contas é aquela fase em que você ainda está experimentando novos amigos, paixões platônicas e acontecimentos. De uma forma muito bizarra, a adolescência é um momento da sua vida onde o mínimo dos problemas acaba se transformando em uma coisa 10 vezes maior do que é na verdade e também quando se está mais suscetível ao drama ou agressividade gratuita. Sei que muitas pessoas não passaram por isso e viveram esses anos numa boa, mas posso afirmar que dei um pouco de dor de cabeça aos meus pais, o que me fez ficar arrependida de coisas que até hoje me assombram em certos momentos quando fecho os olhos hahahaha

Falo disso porque na semana passada decidi finalmente assistir a única temporada de Freaks and Geeks – 1999/2000 – e fiquei inspirada. A série foi criada por Paul Feig, nome responsável por comédias muito boas e que recomendo muito como A Espiã Que Sabia de Menos (escritor e diretor) e Missão Madrinha de Casamento (apenas direção), e produzida por Judd Apatow (lembram dele do post que fiz sobre a série Love do Netflix?). Pois bem, infelizmente nem os nomes de peso por trás da série e nem a atuação sensacional de quem participou de F&G foi suficiente pra manter o show por mais de uma temporada na televisão (NBC), o que na época foi um choque para os fãs da série. Difícil entender a decisão da emissora em cancelar tudo, mesmo com os baixos índices de audiência em comparação com outras séries, ela era realmente muito boa e tive a oportunidade de comprovar isso esses dias.

Foto de Mark Seliger para Vanity Fair
Foto de 2013 por Mark Seliger para Vanity Fair

Freaks and Geeks gira basicamente em torno de dois personagens, os irmãos Lindsay (Linda Cardellini) e Sam Weir (John Francis Daley). Ambos vivendo momentos transformadores de sua adolescência. Lindsay tentando se encaixar no time dos Freaks e Cool Kids a todo custo para também se livrar do titulo de certinha / nerd da matemática e Sam vivendo as maiores confusões com seu grupo de Geeks, composto pelos amigos mais legais de todos (como diria o narrador dos filmes da sessão da tarde hahaha). A comédia aqui é daquelas bem dramáticas, característica de Paul e Judd, que fazem rir da desgraça alheia. Particularmente, muito de F&G faz você voltar um pouco no tempo, porque além de rolar aquela identificação com os acontecimentos e dúvidas enfrentados pelos personagens durante o trama da série, tudo nos episódios consegue ser um retrato fiel do que geralmente se enfrenta nas escolas. Pra mim foi nostalgia pura, o que me fez rir a lot. Seria todo adolescente igual?

Ao todo foram 18 episódios com o elenco mais louco de todos, inclusive parte do grupo dos Freaks James Franco, Jason Segel e Seth Rogen ainda continuam super amigos e chegaram a fazer produções juntos mais de uma vez. Também não posso deixar de falar na abertura da série, que marcou não somente pela música clássica Bad Reputation de Joan Jett & The Blackhearts (isso mesmo, 10 Things I Hate About You realmente transformou B.R no hino dos teen movies anos 90), mas por ser bem engraçadinha, mostrando a turma toda tirando foto para o livro anual da escola. Dá pra ver aqui. 

A série está disponível no Netflix e eu indico demais, é realmente muito legal! Seria interessante se eles aproveitassem esse clima de revivals e fizessem uma continuação ou até mesmo começassem tudo do zero com novos personagens. A verdade é que enquanto não inventam uma máquina do tempo pra gente voltar aos anos 90♥, temos mesmo é que assistir todas essas coisas maravilhosas over and over again

Vocês já viram Freaks and Geeks? Gostaram da indicação?
Até a próxima!

  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • Pinterest

Leia também...

4 Comentários

  1. Então, eu comecei a ver pq tava em destaque na netflix e eu gosto de tudo que remete aos anos oitenta.
    É curioso. não vejo muita series mas depois que terminei Anos Incríveis eu fiquei orfão. HIMYM ainda deu um ânimo mas não é a mesma coisa. E rapidamente gostei de F&G pq a pegada é parecida. Me senti acolhido novamente. Estou vendo aos poucos os episódios. Estou no décimo. Não quero acabar.

    Acho que o público não estava preparado. Se pensarmos com a cabeça lá atrás, de algum modo, é uma serie a frente do seu tempo.

    Me fez lembrar muito “meus amigos” Kevin Arnold e Paul Pfeiffer. E acho que das series que vi nunca me identifiquei tanto com um personagem como tenho me identificado com o Sam, sem brincadeiras haha. A serie é ótima e vale muito.

    Até mais!
    @lucasbarbosasep

    1. Aaahh, Anos Incríveis <3 não se fazem mais séries como antigamente!
      F&G eu comecei a ver depois de ler algumas curiosidades sobre James Franco num desses sites por ai e porque gosto muito das produções de Judd Apatow (apesar de ter lido depois que ele não se envolveu 100% com o projeto)...
      Realmente era uma série que transmitia aquele tom de alerta bem cômico sobre os problemas/'paixonites' adolescentes e com certeza estava bem a frente do seu tempo. Sam também é um dos meus personagens preferidos, assim como o Nick... Jason Segel é simplesmente hilário até fazendo drama haahha!!
      Até mais Lucas :D!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *