Isso tudo por conta de um “suvaco”?

Não, isso não será uma discurso feminista, nem perseguição com ninguém e muito menos um texto pra fazer você engolir nada que não queira. Esse post será sobre direitos e respeito.

Ontem eu li uma noticia que me deixou um pouco intrigada e então achei que talvez seria a oportunidade ideal pra dizer o que eu penso a respeito do que li. Mais ou menos uma semana atrás, um pouco depois de Leonardo Dicaprio ter ganho seu primeiro Oscar, foi divulgada na web uma foto de 1976 que mostrava o ator ainda bebê num registro de família.

Quando vi a foto no mesmo dia em que ela foi publicada, juro como a única coisa que eu consegui reparar foram os rostos felizes de uma família aparentemente feliz… ainda lembro de ter dito “ai que coisinha mais linda era o Leo”, em seguida fechei o navegador no celular e segui normalmente com minhas leituras habituais. Eis que um tempo depois (mais precisamente ontem) eu me deparo com esse artigo publicado no dia 8 desse mês no Dailymail, mostrando a mesma fotografia e informando do porque ela teria deixado tantas pessoas “desconfortáveis” e “enojadas”.

Essa é a foto:

Fotobypeterflemingleodicaprio
Foto: Peter Fleming

Sabe porque as pessoas estavam fazendo tantos comentários nonsense sobre essa foto nas redes sociais? Por conta de uma depilação. É isso mesmo. Olhe a foto de novo e repare nas axilas da super mãe do DiCaprio, viu agora? Pois é. Os anos vão se passar minha amiga e o mesmo mimimi parece que sempre virá a tona todas as vezes que uma mulher resolver levantar o braço ou aparecer na frente de alguém com todos os seus pelos pubianos… Impressionante.

Parece até que na década de 70 as pessoas tinham maior respeito com relação as escolhas das outras do que em 2016. Afinal de contas já foi Sexy ter pelos, sabia? Só dar uma pesquisadinha. Vou ser franca, eu tenho o hábito de me depilar do meu jeito e também me sinto desconfortável quando deixo de fazer por muito tempo, porém é uma coisa que pra mim não se trata de uma nóia constante (como é o caso de outras mulheres) e acredito que isso seja um efeito do meu amadurecimento e da aceitação de que é natural. Com certeza jamais me darei ao direito de julgar o porque de uma garota não ter os mesmos costumes que eu. Assim como também acho muito chato quando uma adepta da prática me diz que a depilação é uma forma de opressão a minha natureza e que portanto eu também deveria defender a causa. Acredito que tudo se trata de uma questão do direito de ser respeitado e de quebra, respeitar os outros.

Existe sim uma ditadura cultural já enraizada com relação a depilação e aparentemente, se você for uma mulher e não saber indicar uma clinica de estética que exerça o serviço ou de repente não souber o nome referente a algum tipo de depilação, já é motivo pra piada “Ai que nojo, você não se depila?” Sim, ao meu modo e bem, ninguém é obrigado a saber de nada. Assim como também é polêmico, sem razão alguma, quando homens se depilam completamente, como se de alguma forma isso fosse ferir a masculinidade de algum deles. Enfim…

Ainda vai demorar muito pra que eu entenda o porque que um tufo de pelos ou a falta deles é motivo certo pra tanta polêmica, independente de quem seja ou independente de quando apareça. Será que não está na hora de simplesmente deixar que as pessoas se sintam confortáveis a sua maneira? Fazer uma trança embaixo do braço ou pintar os pelos de azul jamais deveria fazer diferença alguma na vida de quem não o faz. Mas infelizmente vivemos nesse mundo onde o “outro” deve ser julgado pelas mínimas coisas como se não pudesse ter opção a nada ou como se a regra fosse simplesmente seguir a boiada e pronto. Ao meu ver, depilar ou não depilar qualquer que seja a parte do corpo, nunca irá se tratar de uma forma de provar a feminilidade de mulher alguma, em primeiro lugar, é uma questão de preferência/liberdade de escolha e todos deveriam ter o direito de exercê-la.

No final das contas, realmente tudo vai muito além do que uma simples depilação.

Até a próxima!

 

  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • Pinterest

Leia também...

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *