Desde outubro do ano passado ando me esforçando bastante pra consolidar de uma vez o hábito da leitura na minha vida. Não quero mais ler esporadicamente, quero que isso faça parte do meu cotidiano. Quando leio me sinto inspirada e sinto que a ansiedade em relação as outras responsabilidades diminuem bastante.

Essas foram as leituras de Dezembro. Particularmente achei que foram boas escolhas (com exceção da última leitura) então, enjoy!

Os humanos – Matt Haig ★★★★

Essa leitura me fez questionar os porquês da vida. Foi divertida, afiada e diz tudo que precisa ser dito sobre a natureza humana. No livro um extraterrestre vem a terra com a missão de barrar um avanço humano descoberto por um matemático e assim salvar toda a galáxia, usando até a morte como artificio pra uma “queima de arquivo”. Mas ai ele acaba experimentando coisas que somente os humanos sentem, como amor, raiva, dúvida e passa a compreender melhor a “raça”.

Essa dualidade entre ser humano e ser outra coisa é o que deixa o livro mega interessante. Terminei super rápido, ele é curtinho e gostoso de ler pois faz reflexões incríveis sobre nosso modo de levar a vida.

“Se quiser aparentar sanidade na terra, é preciso estar no lugar certo, vestindo as roupas certas, dizendo as coisas certas e pisando apenas no tipo certo de grama.”

Caixa de pássaros – Josh Malerman ★★★★★

Esse foi meu livro preferido do mês. Eu adiei muito a leitura de caixa de pássaros porque suspense não é lá meu gênero favorito, não sabia muito bem o que esperar. Eis que quebrei a cara. Eu o devorei simplesmente. Malorie é uma personagem forte e intrigante. Malerman escreveu esse livro perfeitamente, é tão cheio de detalhes que faz até você se sentir vendado junto com os personagens, incrível mesmo. Todo conceito pós apocalíptico aplicado no livro apesar de não ser lá muito original, consegue te convencer e prender na trama. Recomendo muito mesmo.

Agora, conseguem imaginar minha decepção ao assistir o filme da Netflix? Apesar de não ser ruim, alterou muita coisa importante do livro, o que sinceramente fez a história ficar pobre em termos de roteiro. Sim, eu sei que é somente uma adaptação, mas really? Precisava cagar com as coisas tão descaradamente?

“Melhor enfrentar a loucura com um plano do que ficar parado e deixar que ela nos alcance aos poucos. “

Quatro vidas de um cachorro – W. Bruce. Cameron ★★★★★

Nunca chorei tanto ao terminar de ler um livro. Falo de chorar copiosamente, sem medo de ficar com a cara inchada. Esse livro conta a história de um cachorro que revive várias vezes e acredita que o motivo de continuar voltando seja encontrar seu propósito na vida como cachorro. Cada vida é uma história e um dono diferente. Imaginem ter que ler um livro onde o cachorro morre várias vezes (não preciso dizer que isso não é spoiler, né?) Sério, tem que ter muita estrutura.

Passei a enxergar minhas doguinhas de uma maneira diferente e depois que li o livro parece até que consigo sentir elas se comunicando comigo. Já sentia antes, é claro, mas agora é diferente. Estou ansiosa pra ler a segunda parte “Juntos para sempre”.

“De todas as coisas que fiz na vida, provocar seu riso me pareceu a mais importante, a única coisa, concluí, que dava sentido à minha vida.”

Mais lindo que a lua- Julia Quinn ★

Odiei esse livro em muitos níveis, mas não me leve a mal se você gosta de Quinn, eu também amo a forma como ela escreve seus romances adultos de época (inclusive, amo a série dos Bridgertons), porém esse livro não desceu de forma nenhuma. Foi a pior coisa que li em muito tempo. É o livro #1 da série das irmãs Lyndon e se os outros forem tão machistas e clichês quanto esse aqui, pode queimar, viu?!

A autora mirou no “amor a primeira vista” e acertou num relato muito fiel de relação tóxica. Os personagens não são cativantes e não convencem como casal. Victoria é irritante demais e Robert é um embuste de marca maior. Que leitura horrível, sinceramente. Como que alguém escreve um romance desses sem achar que tem alguma coisa errada?

“No fundo de seu coração, Victoria sabia que Robert tinha o poder de fazê-la feliz além de seus maiores sonhos. Mas também tinha o poder de destruir seu coração.”

Posted by:Agatha Chris

Por aqui escreve sobre as coisas que ama e tudo que há ao seu redor. Não vive sem sonhos, chocolate, cachorros, cinema, séries, música, fotografia e Netflix. Email: agavalenca@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *