Favoritos de Abril /17

Olha só eu aqui de cara lavada junto com a ursa Kora, passando aqui pra avisar que tem vídeo novo no canal. hahahah Ainda é tão estranho falar isso… mas enfim, espero que gostem porque eu até que curti gravar, apesar de ter feito pelo menos umas duas tentativas e ainda não ter gostado 100% do resultado.

Little Girl Blue

Ontem estava em um daqueles dias que você passa horas e horas procurando algo pra ver na Netflix. Foi quando me deparei com um documentário poderosíssimo sobre Janis Joplin. Antes de ver, mal sabia o quanto que ficaria tocada com a história de força, dor e libertação daquela mulher incrível. Queria ter previsto antes, porque realmente não tinha intenção de Continuar lendo…

Overdose Netflix do FDS | Stranger Things, Tallulah e mais

Que saudade de aparecer por aqui! Andei meio ausente e tudo mais, mas o tempo não tem me ajudado muito e como todos os outros reles mortais, estava precisando ganhar a vida, superar algumas dificuldades e ultrapassar alguns obstáculos (hahahaha falei bonito). Mas enfim, tinha que passar por aqui pra dar uma opinião sobre minhas últimas experiências netflixianas. Vamos começar Continuar lendo…

Resumão do mês – Maio/16

Maio foi um mês bem peculiar e teve de tudo um pouco… decepções, dor de cabeça, alegrias, encontros e algumas boas surpresas. Confesso que muito do que gostaria de ter feito (coisas que cheguei até a comentar aqui que faria), acabei deixando pra depois (algo que precisa parar de se repetir ), como é o caso do projeto que prometia Continuar lendo…

Lily Tomlin é a avó feminista dos sonhos em “Grandma” (2015)

Hoje minha indicação vai para “Grandma”, dirigido e escrito por Paul Weitz (nome por trás dos filmes American Pie: A Primeira Vez é Inesquecível e Em Boa Companhia) e que por aqui ficou conhecido como Aprendendo Com a Vovó (?).  Não entendo porque essas traduções de título são tão cagadas sempre, mas enfim… Grandma é um filme curtinho, de orçamento baixo, super simples, filmado Continuar lendo…

A comédia romântica do cinema francês + indicações

Apesar de ser uma viciada em comédias românticas/trágicas que incluem aquela pitada de drama existencial, devo admitir algo que acredito ser meio óbvio pra todos, apesar da insistência da industria. O estilo anda meio defasado e repetitivo, os enredos sempre são os mesmos e tudo parece ser previsível de um jeitinho bem irritante, principalmente quando falamos de produções hollywoodianas (salvo algumas Continuar lendo…