Playlist #5 // Desligando do mundo

Photo by Clem Onojeghuo on Unsplash

Ouvir enquanto toma um chá na varanda apreciando o fim da tarde, enquanto espera pela chegada de alguém muito querido ou enquanto olha as pessoas indo e vindo numa mesa de cafeteria. Essa playlist é pra todos os momentos em que você só quer esquecer das coisas que estão acontecendo ao seu redor, porque mesmo que elas estejam lá preenchendo sua cabeça com um turbilhão de pensamentos, ainda podemos escolher tirar 30 minutos pra desligar de tudo.

Minha preferida é First – The Nicholas , porque quando fecho os olhos, ela me traz um pouco de paz.

Continue Lendo
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • Pinterest

Uma palavrinha rápida sobre o filme Angel – A e o amor

Esse daí eu posso afirmar com certeza que foi um dos filmes mais inspiradores que tive a oportunidade de assistir. Não é lá extremamente bem produzido, mas traz no roteiro um alerta bem interessante sobre como é importante fazer crescer dentro da gente uma coisa que muitas vezes esquecemos de fortalecer. O amor próprio.

Angel-A também faz com que a gente pare um pouco de pensar em aparências e em como demonstrar um pouquinho de confiança pode mudar totalmente o rumo da nossa vida. Basta somente que estejamos abertos a nos olhar no espelho e enxergar o que temos de bonito. Por dentro e por fora.

O filme é todo em preto e branco e pode causar um pouco de incomodo em quem não está muito acostumado. Mas tem paisagens e enquadramentos de cena muito legais, o que não deixa nada cansativo. Depois de uma pesquisa rápida, descobri que Luc Besson, diretor e escritor do filme, também foi o nome por trás de filmes como O Profissional e O Quinto Elemento. Já deu pra sentir que é bom então, né?

Continue Lendo
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • Pinterest

Maria e todos os requisitos para ser uma pessoa normal

Sempre que tenho uma ideia legal de post, anoto no celular e vou marcando como done a medida que vou escrevendo sobre o assunto. Mas como nem tudo é perfeito, tem aquelas vezes que você vai postergando um rascunho até que finalmente esquece dele. Isso acabou acontecendo com um filme espanhol que vi no final do ano passado chamado Requisitos para ser una persona normal (em português Requisitos para ser uma pessoa normal). 

RPSUPN foi escrito e dirigido por uma moça que se chama Leticia Dolera que inclusive, atua no papel principal do roteiro sendo a querida María de las Montañas. O filme é lindo, de uma leveza sem igual e tem uma trilha sonora bem naquela pegada fofa stress free.  Mas o mais interessante dele, é a forma como traz a tona todos aqueles questionamentos que a gente faz pelo menos uma vez na vida. Será que eu sou uma pessoa normal? Será que um dia vou ser feliz? O que eu preciso pra ser uma pessoa completa? Vida social e familiar são realmente primordiais na vida? Quando vou ser finalmente aceita, bem sucedida, ter meu próprio canto, ditar as regras da minha própria vida?

No filme, Maria acredita que é uma pessoa fadada ao fracasso por não preencher os requisitos pra ser uma pessoa normal. Requisitos esses que ela listou após uma entrevista de emprego. São eles: 1. Casa; 2. Trabalho; 3. Parceiro; 4. Vida familiar ativa; 5. vida social ativa; 6. Hobbies e 7. Ser Feliz. Parece a receita perfeita pra realmente ser alguém equilibrado/aceito/ nesse mundo cão, né?

Continue Lendo
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • Pinterest